Follow by Email

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Para onde ou para aonde?

Dúvida de Daniel Tisk: Wagner, quando usamos a preposição para antes de onde, também temos que colocar o aPor exemplo: 'Todo amor é eterno enquanto dura/E quando acaba, para onde vão nossas juras?'. O certo é para onde ou para aonde?.

Caro Daniel, o adequado à norma-padrão é "para onde", pois o "para" é preposição, e o "a" do advérbio "aonde" também é preposição, logo, as duas têm a mesma propriedade morfológica: serem preposições. Nesse caso, ou se usa uma ou outra.

Observe apenas que, do ponto de vista do sentido, elas são distintas. Ir a algum lugar denota ideia de ida transitória, ou seja, se digo que vou a Bahia (quem me dera!) significa que vou e ficarei lá por pouco tempo, em seguida retornarei a Belo Horizonte. Diferentemente, se eu disser que vou para a Bahia significa que vou e ficarei lá por muito tempo, meses ou anos e, depois, voltarei. 
 
Espero ter esclarecido sua dúvida...

Abraço!

4 comentários:

  1. Wagner,

    Isso eu aprendi com você na faculdade e não esqueci. Vejo muitos erros por aí.

    Abraço.

    Aline

    ResponderExcluir
  2. Aline, se você não esqueceu é prova de que aprendeu. Fico feliz com isso.

    Abraço,

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde.

    No Manual de Redação da Presidência da República há o seguinte trecho: "Aviso e ofício são modalidades de comunicação oficial praticamente idênticas. A única diferença entre eles é que o aviso é expedido exclusivamente por Ministros de Estado, para autoridades de mesma hierarquia, ao passo que o ofício é expedido para e pelas demais autoridades. Ambos têm como finalidade o tratamento de assuntos oficiais pelos órgãos da Administração Pública entre si e, no caso do ofício, também com particulares".
    Sabe-se também que o fecho "atenciosamente" é redigido em documentos quando o destinatário é de mesma hierarquia do remetente.
    Gostaria de saber se é considerada correta a frase: "Nos avisos, o fecho adequado é Atenciosamente, visto que tal documento é emitido por ministros para autoridade de mesma hierarquia".
    Pergunto porque a afirmativa está generalizando, dizendo que quaisquer ministros podem se valer do "aviso", quando, na verdade, há uma clara restrição no manual.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Claudio, não percebi qualquer impropriedade na frase citada por você. Nela se diz que o aviso é emitido por ministro [de Estado] para autoridade de mesma hierarquia [= ministro de Estado]. Não se trata de uma generalização, mas de uma restrição.

      Essa sentença está em consonância com a primeira, citada por você, em que se diferencia o ofício do aviso.

      Não sei se consegui esclarecer sua dúvida. Obrigado por sua participação!

      Abraço,

      Excluir